Televisão: por que você não deve assistir


Olá, hoje vou escrever um pouco sobre a televisão e os males que ela causa para você, para sua família, para seu cérebro e seu bolso.

A televisão surgiu como uma revolução anos atrás. O entretenimento que ela propunha era diferente de tudo na época, quando o pessoal estava acostumado apenas com rádio, leitura e espetáculos ao vivo.

E, realmente, foi uma revolução. A televisão ajudou a divulgar melhor as informações, além de entreter e marcar o avanço da tecnologia da humanidade, nada mal.

Porém, como tempo e o avanço do capitalismo, a televisão começou a ser monetizada e todos os produtores só visavam o lucro acima de tudo. Como era o único entretenimento que os lares tinham, os grandes canais se aproveitavam e colocavam anúncios e mais anúncios. Ok, sem problemas até aí também, afinal, eles tem que sobreviver de alguma forma.

A grande virada

Na minha opinião, após o surgimento da internet foi quando nós vimos realmente o mal que a televisão pode nos causar. Como a internet nos provê informação sob demanda, notamos o contraste de tecnologias.

A diferença é gritante:

  • TV: programas para todos os tipos de pessoas, tentando agradar todo mundo;
  • Interwebs: você vê, assiste, lê, busca o que quer. Se quiser.

Viu só?

Os males da televisão

Para ser sucinto, listarei alguns males que a televisão causam a você, a sua família e a seu bolso:

  • Te obriga a ver o que ela transmite;
  • Abusam da sexualidade e violência em quase todos os programas;
  • Visam sempre o lucro, não pensam no telespectador;
  • Te obrigam a seguir o padrão que a sociedade impõe;
  • Te faz comprar coisas que não precisa para resolver os problemas que não existem;
  • Etc, etc, etc.

 

Entre inúmeros outros.

Televisão ruim.
Um dos piores tipos de programas da televisão aberta. Nada contra o apresentador, que até que é um bom jornalista, mas o formato do programa é um lixo.

 

Minha relação com a televisão

A televisão e o mascote.
Mascote do Mestre (mais um…) forçando ele a desligar a televisão. Chega por hoje.

Sempre assisti, desde criança. Mas quando me envolvi mais com a Internet, desapeguei quase totalmente. A única coisa que assisto na televisão é futebol ao vivo do time que torço. Só! E por que não passa na internet de uma forma estável, senão já teria abanado a quadradona de vez.

Como a televisão influencia seu orçamento doméstico

Simples, como citei acima, a televisão te obriga a seguir o que a sociedade impõe: seja linda como as atrizes globais usando esse shampoo caro para caramba. Tenha esse tênis da moda que você vai fazer sucesso. Compre esse computador, alugue isso, compre aquilo…

Televisão e o acidente de Chernobyl.
Isso a televisão não mostra.

Além disso, as televisões por assinatura estão cada dia mais caras. Pacotes com dois mil canais para quê? Você só vai assistir dois, no máximo. Você não assiste dois mil canais nunca. E paga caríssimo por isso.

Mais uma: os aparelhos de televisão estão cada dia mais caros também. Toda semana surge uma nova tecnologia, a da vez é a 4K, que eleva os preços lá pra cima!

A televisão e as crianças

Impossível deixar as crianças em frente a televisão como antigamente sem supervisão. Atualmente o programa da Fátima Bernardes (para citar um exemplo) fala de temas polêmicos (e adultos) às 10 da manhã, horário que tem muita criança em casa. Um absurdo.

Antigamente, lembro de ficar na televisão, nas férias, do momento que acordava até o momento de ir dormir, só vendo desenhos, programas infantis, filmes… Hoje em dia isso não e mais possível.

 

Beleza, então, ok. Mas como devo fazer para me livrar desse traste, ó Mestre?

Televisão x Netflix.
A relação do Mestre Poupador com os milagres da Internet. Nada de televisão, hue.

Calma. Não quero que você se livre da televisão. Hoje em dia ela é muito útil: as televisões modernas tem suporte à Netflix e ao Youtube, o que facilita e muito a nossa vida, além de prover mais conforto, pelo tamanho da tela.

Além disso, ver um pouquinho por dia não vai te fazer mal. Só quero te alertar aos males que ela traz, para você ficar vacinado. Se você acha que ela não te faz mal, vá em frente.

Vou dar apenas alguns pitacos para você refletir:

  • Trocar os programas “nativos” da televisão pelo NetFlix, Yotube;
  • Substituir jornais sensacionalistas e tendenciosos por notícias na internet;
  • Trocar o “momento família” na frente da TV por um passeio no parque, no shopping, ou um jantar em casa;
  • Cancelar a televisão por assinatura;
  • Não ficar mais que uma hora vendo televisão, exceto jogos de futebol. Brincadeira, esse é o meu caso. O que quero dizer é para não abusar.

O tempo perdido na televisão

Já pensou que as horas e horas gastas em frente à tela poderiam ser substituídas por leitura útil, exercícios físicos, passeios, estudos, trabalhos extras? Pense nisso.

Quando sentar para  ver televisão, coloque um cronômetro de 25 minutos (post futuro is coming). Quando ele apitar, saia e vá fazer algo produtivo!

Conclusão

Amigão, não sou radical a ponto de mandar você jogar a televisão no lixo. Só quero que você pense bem que o tempo perdido à frente desse aparato doméstico poderia ser utilizado em outra coisa útil.

Relaxar é importante, sim. Mas não abuse da televisão. Além disso, podem existir outras formas de relaxar, descansar e gastar o tempo.

Deixe sua opinião nos comentários. Quero saber se pensa como eu.

Um abraço e até a próxima!

CompartilharTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

6 Comentários

  • vc1kk (#)
    14 de março de 2017

    A melhor coisa que já fiz foi trocar a TV a cabo pela Netflix, além de economizar o conteúdo é muito melhor.

    Boa postagem.

    Abs.

    • Editor Poupador (#)
      15 de março de 2017

      Valeu VC1KK!

      Isso mesmo, TV a cabo hoje no Brasil tá um absurdo!

      Abs

  • Enriquecimento Progressivo (#)
    14 de março de 2017

    Eu concordo no que vc diz, sobretudo quando se diz respeito à tv aberta… é realmente atirando pra todo tipo de público e uma mensagem subliminar a todo tempo incentivando o consumo. Mas não podemos ser tão radicais, pois existem programas que podem ser úteis pra determinadas camadas da sociedade. O problema é que a maioria das pessoas não têm discernimento e acabam sendo manipuladas pelo que assistem.

    Eu tenho tv a cabo e consigo tirar um excelente proveito da programação que me interessa. Devo assistir programa de uns 10 canais diferentes por semana. Posso gravar o que quero e assim não preciso assistir propagandas e só consumo aquilo que faz sentido pra mim.

    Abraços.

    • Editor Poupador (#)
      15 de março de 2017

      Muito bom EI!

      realmente, não podemos ser radicais mesmo não, afinal, como o colega disse, até na Netflix pode ter conteúdo imprestável.

      Obrigado pelo comentário!

  • A (#)
    14 de março de 2017

    Olá,

    O pior não é nem a banalidade e estímulo ao consumismo que a TV apresenta, coisa ruim mesmo é o progressismo descarado que molda toda uma sociedade. A Globo, por exemplo, é a maior expoente desse aspecto.

    E há que se vigiar para a Netflix e Internet, também; pois são mídias como as outras, que transmitem conteúdos corrosivos.

    O negócio é tentar desvencilhar-se o máximo possível dessas coisas que não nos agrega em nada, para além, nos destrói…

    Abraço!

    • Editor Poupador (#)
      15 de março de 2017

      Perfeito, Andinho SA!

      É difícil sabermos exatamente até que ponto estamos sendo influenciados ou não, né? Por isso, devemos ficar atentos!

      Abraço e obrigado!