Por que eu troquei meu carro por uma moto?


Olá amigos,

 

hoje vou contar os motivos que me levaram a trocar meu carro por uma moto. O principal vocês já sabem: economia. Mas tem muita coisa envolvida.

O Contexto

Tinha um carrinho bem bacaninha. Popular, mas que eu curtia demais. Não dava muita despesa, e o consumo era baixo. Era semi-novo. Ia levando a vida com ele, até que me bateram duas vezes seguidas em menos de um mês.

Para quem quase nunca bateu o carro, duas seguidas é muita coisa. A primeira foi quando fui fazer um concurso, tive que frear bruscamente no semáforo e o carro detrás não percebeu e pimba, já sabem a m* que virou.

Fiquei 30 dias sem carro, tudo correu bem com os trâmites da seguradora e da firma de funilaria e pintura. Detalhe: o cara que bateu no meu carro não pagou a franquia do seguro. E o babacão aqui deixou por isso mesmo. Saldo do MP até o momento: -R$800,00.

Beleza, peguei o carrinho e continuei seguindo a vida normalmente quando vou descendo a rua do trabalho a caminho de casa quando PLOUUUUFT, um senhorzinho fura o pare e bate na minha lateral. O velho quase sofreu um AVC com a batida, mas o cavalo velho aqui, já vacinado, estacionou, desceu e EU (a vítima) foi prestar suporte pro oldman.

Não entrarei em detalhes das batidas aqui, mas novamente não recebi o dinheiro da franquia (será que o erro são nas pessoas que bateram em mim ou em mim mesmo?). Saldo: -R$800 – R$500 = R$-1300 a menos. Nem gosto de lembrar.

***

Juntou o fato de eu ter batido, e logo depois ter empenado um eixo por causa de buracos, que eu já fui desanimando com o fato de ter um carro. “Uma moto valeria mais a pena”. Foi muito dinheiro gasto, perdido, rasgado, em pouco tempo. Além disso, o fato determinante foi meu casamento. Minha esposa tem um carro novinho, e para começar a vida não seria necessário termos dois veículos em casa.

Pus meu danado à venda.

A venda bem sucedida

O carro ficou menos de um mês à venda.

Consegui vender para um senhor bem sistemático e bem honesto. Ele me transferiu o valor integral, sem desculpas, sem pedir prazo, sem nada. Saímos do banco e fomos fazer a transferência do veículo. Deu tudo certo!

A aquisição bem sucedida

Ato contínuo encontrei uma moto ótima, do modelo que eu queria, com apenas 250 km rodados (não é 250.000 nem 2.500 km rodados, é 250 só!).

Paguei à vista e ganhei um desconto de R$300. As coisas mudaram de figura para meu lado, haha.

Meus créditos olhando para meus débitos após eu ganhar “trezentim” na compra da moto.

As vantagens de uma motocicleta

Manutenção barata

Uma moto semi-nova não dá problema, só se a pessoa der muito azar. A manutenção para motos semi-novas ou novas é apenas preventiva, as revisões periódicas, que custam cerca de R$200,00. A troca de óleo é a cada mil km e custa em média R$20. Caso dê um problema mais cabeludo, não é necessário investir rios de dinheiro.

Acréscimo de patrimônio

O dinheiro que ganhei com o carro praticamente não foi mexido desde então. Ele está me rendendo uma renda passiva bacana. Posteriormente vou aplicá-lo em fundos de maior rentabilidade.

O acréscimo em meu patrimônio me deu segurança e confiança.

Pouquíssimo gasto de combustível

A última média que fiz foi: 45 dias com R$30 de gasolina. Eu moro perto do trabalho (3 km) e vou pouco para outros lugares (também pela segurança).

Praticidade

Na minha opinião, moto é mais prática que carro: cabe em qualquer lugar, passa por qualquer lugar.

Velocidade

Por causa de sua praticidade, quando eu estou de moto eu tenho uma economia de tempo de quase 50%! Moto não pega engarrafamento, moto desvia facilmente de obstáculos.

Impostos

O IPVA de uma moto é bem mais barato do que o de um carro, por que o valor de mercado é mais baixo, óbvio. Mas o que importa é a geração de economia.

A taxa de licenciamento é o mesmo preço, não muda.

O DPVAT (seguro obrigatório) é mais caro que o do carro, praticamente o dobro aqui no meu estado. Mas não é um imposto tão caro comparado com o IPVA. A economia no IPVA compensa o gasto a mais no DPVAT.

Liquidez

Motos são fáceis de vender. Muito mais fáceis que carros. Motos são baratas e a procura é enorme.

As desvantagens

Bom, andar de moto tem lá suas desvantagens. Talvez seja por isso que muitos ainda não arriscaram ainda.

Chuva

É complicado. Agora no verão, aqui na minha cidade chove todo dia praticamente. Já me acostumei em chegar em casa todo encharcado. Mas tá tranquilo, eu enrolo o celular e o controlinho do portão em uma sacola plástica e “é nóis”.

Outro problema da chuva é a roupa molhada. Como moro em apartamento, o processo de secagem de roupas demora mais para acontecer. Por isso a rotatividade de roupas em semanas chuvosas duplica!

Não uso capa de chuva. Estou segurando a grana para não comprar. Prefiro tomar chuva.

Seguro

O seguro de moto é caro e nem sempre tem uma cobertura legal. Acredito que não compense adquirir o seguro para uma moto. O lance é rezar e desviar de buracos.

Perigo, muito perigo

A pior desvantagem. A moto é uma máquina de acidentes, infelizmente. Nela, você deve dirigir para você e para os outros com atenção redobrada. Qualquer coisa é motivo para ir ao chão. A inércia age imensamente nos motociclistas.

Capacete

Carregar capacete em todos os lugares é chato pra caramba! Ainda não pus o módulo que guarda o capacete (gasto supérfluo? Talvez, visto que posso carregá-lo).

Pneu

Se furar o pneu você tá enrolado. Liga para alguém trazer outro, ou vai dirigindo bem devagar até chegar a alguma borracharia. Moto não tem estepe!

Comparativos

Resuminho das vantagens x desvantagens:

Deve-se pesar bem. Vale a pena ou não? Cada caso é um caso, cada pessoa é uma pessoa. Pra mim está sendo ótimo, pelo menos por enquanto.

Fiz um breve comparativo com as despesas de um carro e da minha moto em um ano.

Algumas observações:

a. Meu trabalho fica a 3 km de casa
b. Comprei a moto com 250 km rodados, novíssima
c. São gastos estimados, baseados em um menor tempo
d. O carro usado como base é um popular 1.6 com ar condicionado

Super-tabela ilustro-demonstrativa de economia quando se troca um carro por uma moto, mas é só uma dica, você não precisa seguir fielmente o que o Mestre Poupador te fala, é só pra te mostrar que sempre tem um jeitinho de gastar menos, entendeu? Que legenda grande hein…

 

Conclusão

É isso aí, amigos.

Não quero coagi-los a comprar uma moto. Só quero demonstrar que para mim o efeito foi muito positivo. E quero mostrar também que sempre há uma forma de economizar!

Comentem aí se gostaram.

Abraços

CompartilharTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone