Google Finance: iniciando a utilização dessa ferramenta


Google Finance
Google Finance: vale ou não a pena?

Por várias vezes eu citei o Google Finance no blog (aqui, por exemplo). É uma ferramenta que descobri há uns meses atrás, quando comecei a estudar mais sobre economia e finanças.

É uma ferramenta bacana. Mas ainda não tive tempo de usá-la e espremer até a última gota de todo o seu potencial.

Vou dar uma breve introduzida nela aqui nesse post. Aperte os cintos.

Google Finance, ou Google Financeiro em pt_BR, é, segundo a Wikipedia:

Um serviço que apresenta a informações sobre empresas incluindo suas últimas decisões e também suas ações com um código em JavaScript que permite a visualização das ações no momento. Foi lançado em 21 de Março de 2006 e atualmente está em versão beta.

Ou seja, é uma mão na roda para acompanharmos os gráficos das ações na bolsa. O ruim (talvez para poucos de nós) é que está em Inglês.

Página inicial do Google Finance

Google Finance
Google Finance: Início

Aqui na página inicial, como de praxe nos serviços Google, temos um painel de controle onde podemos visualizar a maioria das funções.

1 – Menu principal

Aqui no menu principal temos os links para as outras páginas da ferramenta, obviamente. Irei explicar cada uma delas aqui no post. Simples e minimalista, como todos os serviços Google. Como eu disse acima, está tudo em inglês, mas isso não costuma ser um grande problema.

2 – Favoritos

Aqui na barra lateral esquerda você pode definir suas letras “favoritas”. Salvando ali do lado fica mais fácil para você encontrar sua variação no dia, por exemplo. As que coloquei aí são algumas amostras para você entender como funciona. Tem tanto de ações de empresas (como Petrobras – PETR4) como Fundos de Investimentos Imobiliários (MXRF11, por exemplo).

3 – Top Stories

Em Top Stories você vê as notícias sobre mercado financeiro mais relevantes para aquele momento. Para quem opera na bolsa, principalmente em outros países, é muito interessante.

4 – Create a Portfolio

Aqui é um atalho para você criar um portfólio. Um portfólio é uma categorização para suas letras/títulos. Como se fosse uma pasta do seu computador. No portfólio você coloca as ações categorizadas da maneira como se enquadrar melhor para você. Por exemplo: “Empresas Brasileiras”, “Empresas Americanas”, “Fundos de Investimento”…

Essa função é uma mão na roda. Facilita a categorização.

5 – Portfolios

Aqui são listados seus portfólios já criados. Como padrão, o Google nomeia como “my portfolio”, mas você pode mudar para o nome que preferir.

6 – World Markets

Em World Markets tem uma síntese de como anda as principais bolsas no mundo.

Rolando a página para baixo ainda tem alguns gráficos da indústria e informações sobre as moedas do mundo. É bem completo.

Notícias do mercado

Google Finance
Notícias do mercado do Google Finance

O próprio nome já diz, não tem o que detalhar muito. As notícias do mercado financeiro movem as altas ou baixas das bolsas, fato. O nível de acompanhamento depende de cada investidor e de seu tempo para investir nos estudos.

Eu acho muito importante acompanhar as notícias, principalmente as relacionadas a empresas em que o investidor deseja ter (ou já tem) ações.

Os portfólios

Google Finance
Google Finance: detalhes do portfólio

Como eu disse acima, os portfólios são uma forma de categorizar suas ações/empresas da forma que lhe convier.

No número 1, temos a lista de todos os seus portfólios. No exemplo acima só temos um, chamado de “My Portfolio”. O número 2 da ilustração indica o nome do portfólio que está sendo visualizado. Para criar um novo portfólio, clique no botão indicado pelo número 3.

O que mais achei interessante são as notícias relacionadas ao seu portfólio (Número 4 da imagem). O Google automaticamente seleciona as novidades referentes as letras/ações que você tem salvo. Muito interessante.

As letras de a a f na imagem indicam os campos de dados relacionados às letras do portfólio. Podemos notar a existência do código, preço de abertura, maior e menor preço, etc. Bem útil também.

Google Finance
Google Finance: gerenciando seu portfólio

Para editar os dados do portfólio é simples. Use os botões e caixas de seleção indicados na imagem (números 1 e 2). Para adicionar novos códigos (empresas), use a caixa de diálogo no número 3.

No item número 4 é possível você criar um portfólio automaticamente dos seus favoritos da barra lateral. Google sendo Google.

O Stock Screener (q?)

Google Finance
Google Finance Stock Screener

Rá! Tive que googlar isso. Vivendo e aprendendo né? Segundo a Investopedia, Stock Screener é “uma ferramenta que os investidores e traders usam para filtrar ações baseados em métricas pré-estabelecidas pelo usuário.

Em suma, é um resumão das ações que cumprirem determinadas categorizações estabelecidas por você. Você define o yield e filtra, por exemplo.

Ainda não usei a fundo essa funcionalidade, visto que sou um investidor-aprendiz, mas pelo visto é bem bacana.

Conclusão

Amigo, o Google Finance é uma ferramenta e tanto. Tem muitas funcionalidades e, acima de tudo, possui o padrão Google de qualidade.

Mas…

acredito que, para você que esteja iniciando, não seja indispensável. É uma ferramenta a mais, para te ajudar a olhar mais detalhes de uma empresa ou outra, além de notícias bem filtradas, mas não passa disso.

Ainda não tive tempo de esmiuçar todos os detalhes da ferramenta, mas, a princípio, me pareceu totalmente dispensável, visto que quando eu quero procurar detalhes de um Fundo ou Ação, eu jogo direto na caixa de pesquisa padrão do Google e ele já me retorna as principais informações. Veja o exemplo:

Google Finance
Google Finance: dispensável para beginners.

Na imagem acima, ao simples digitar de PETR4, ele já me retornou muita coisa interessante sobre a empresa (vide gráfico).

Enfim, é bom, é um recurso a mais, mas obviamente não é a principal ferramenta que você vai utilizar.

Como já falei várias vezes, quem define tudo é você: o quanto quer aportar, onde irá aportar, em qual frequência e por quanto tempo. Tudo está na sua cachola. Todas as tecnologias que existem servem apenas de suporte e como “facilitador“.

Espero que tenham gostado do review.

Um abraço do MP.

CompartilharTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

12 Comentários

  • Frugal Simple (#)
    6 de abril de 2017

    Venho advogando o uso dessa ferramenta há mais de ano.
    Gosto mt dela.

    Viva o Google!

  • Frugal Simple (#)
    6 de abril de 2017

    Quando você compra a ação e cadastra ele coloca todos os splits e dividendos automaticamente. Também esse dinheiro vai para o cash da carteira e quando vc vai comprar novamente ele pergunta se quer retirar o dinheiro do cash ou não.

    Com o passar dos anos vc vai ver a variação do ativo, o custo de base, os dividendos, os gráficos de cada portfólio.

    Voce pode fazer um portfolio exclusivo para Fiis, um exclusivo para ações no Brasil e outro exclusivo para ações no exterior, e pra melhorar ainda mais, vc pode fazer um portfolio geral com tudo isso dentro, assim dá pra ter uma visão geral da sua carteira, eu já tenho mais de 50 ativos e isso me é muito útil, sempre no final ele lhe mostra o retorno total em dinheiro e em porcentagem, o retorno cumulativo que é o que importa. Ele atualiza esses dados muito rápido e diariamente, na hora da compra dá pra ver bem o que subiu e o que ficou pra trás.

    Ainda não achei nada melhor que ele.

    • Editor Poupador (#)
      6 de abril de 2017

      Que legal, Frugal!

      Eu ainda estou aprendendo. Não conhecia esses macetes aí!

      Vou mexer mais com ela, então.

      Abraço!

  • Cowboy Investidor (#)
    6 de abril de 2017

    Olá MP,
    Eu uso o google finance. Cadastro as minhas ações e FII.

    Bom post.
    Abraços.

    • Editor Poupador (#)
      6 de abril de 2017

      Olá Cowboy!

      Pois é, é uma ótima ferramenta. Cada dia que passa aprendo mais sobre ela!

      Abs

  • NooB Investidor (#)
    6 de abril de 2017

    Fala Mestre.

    Utilizei bastante o Finance, principalmente criando carteiras simuladas (portfólios) registrando a compra de ações e acompanhando o desempenho das carteiras.

    Como o Frugal falou, bacana ter os splits, bonificações e proventos automáticos lá.

    Mas hoje, confesso que não uso mais. Fico somente com minhas planilhas mesmo e pronto. hehehhe

    Abraços

    • Editor Poupador (#)
      7 de abril de 2017

      E aí, Noob! Obrigado pelo comentário!

      Pois é, ainda não lanço tudo nela não, vou estudá-la aos poucos!

      Abs!

  • Stifler Pobre (#)
    7 de abril de 2017

    Fala Mestre, eu sabia que existia. mas nunca tinha nem acessado, legal você demonstrar na prática, como prentendo começar com FIIs, vou ter que usar !! Continue sempre com suas ótimas dicas

    http://stiflerpobre.blogspot.com/

    • Editor Poupador (#)
      7 de abril de 2017

      Valeu Stifler!

      Obrigado pelo elogio e pela visita.

      Vem mais posts sobre FII por aí, a pedido seu hahaha

      Abraço

  • Viver de Dividendos (#)
    22 de abril de 2017

    É só um o problema de utilizar o portfólio dele. Quando se reinveste os dividendos ele reconsidera na rentabilidade então fica duplicado a rentabilidade.

    Você joga tudo lá e depois acha que está ganhando X quando na verdade está ganhando metade 🙁

    Só ficar ligado com isso

    • mestrepoup1 (#)
      23 de abril de 2017

      Entendi.

      Interessante ué. Uma ferramenta tão boa com essa peculiaridade!

      Abs VdD!