Economia básica 2 – a Inflação (histórico, principais índices, investimentos e mais)


Olá amigos,

 

hoje vou continuar a série sobre economia básica aqui no blog, para quem não viu a parte um, clique aqui. Hoje falarei um pouco sobre a Inflação.

O que é inflação?

A inflação, em linhas gerais, é o aumento dos preços dos produtos em determinado período de tempo. Um produto que custava R$1 ano passado, neste ano custa R$2, por exemplo.

A inflação é muito falada nos telejornais, principalmente no Brasil, pois aqui ela é instável se comparada com países mais desenvolvidos.

Histórico

A inflação e o Plano Real
Bóra pra Miami?//

Até 1994, ano do plano real, a inflação no Brasil estava descontrolada. Alguns produtos tinham o preço inflado quase 700%, um caos total!

Então em 1994 o Governo criou o Plano Real e alterou a moeda para o Real (na verdade primeiramente veio a Unidade Real de Valor, usada para manter o poder de compra da população).

Os principais índices

A inflação é medida por algumas instituições, abaixo estão os principais:

IPCA

Sigla para Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, é o indicador oficial do Governo.

IGP e variações

Índice Geral de Preços. Possui variações, como IGP-M (preços do Mercado).

INPC

Índice Nacional de Preços ao Consumidor. É a média do custo de vida básico em 11 grandes cidades do país em famílias com renda de 1 a 5 salários-mínimos

O outro lado

Apesar de a inflação, à primeira vista, parecer ruim, na verdade não é bem assim. Vários especialistas explicam que uma inflação controlada é essencial para a manutenção da economia de um país. A inflação é indicativo que há consumo, há oferta, há demanda. É indicativo que o povo tá comprando.

A expectativa de inflação é que mantém o mercado vivo: se amanhã o preço vai subir, a pessoa compra hoje.

Ruim mesmo é a deflação, que é a diminuição contínua dos preços. Quando há deflação, é sinal que a economia do país está nas últimas (ninguém compra nada).

Investimentos atrelados à inflação

Alguns investimentos são atrelados à inflação. Ou seja, quando a inflação está alta, é a oportunidade para os investidores tirarem uma casquinha.

Os principais investimentos atrelados são:

LCA – Letras de Crédito de Agronegócio

LCI – Letras de Crédito Imobilário

NTN-B (atual IPCA+) – Letra do Tesouro Direto, atualmente chamada de IPCA+. Com a queda da SELIC (veja aqui e aqui), alguns títulos de IPCA+ estão valendo a pena.

FII – Fundos de Investimentos Imobiliários

Conclusão

Pessoal, como no primeiro post da série, apenas explico superficialmente sobre o assunto, até mesmo por que eu estou aprendendo também. Não quis detalhar, esmiuçar a questão histórica tampouco os títulos que citei acima. E só uma introdução básica. Aos poucos irei aprimorando mais.

Espero que tenham gostado.

Até a próxima!

CompartilharTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

4 Comentários

  • Cowboy Investidor (#)
    7 de fevereiro de 2017

    Olá MP,
    Acredito que a inflação fosse menor aqui no Brasil seria bem melhor para nós. Eu não acredito nessa inflação que o governo lança. Acho que é bem maior.

    Abraços.

    • Editor Poupador (#)
      7 de fevereiro de 2017

      Sim, concordo com você.

      O que sentimos no bolso é bem diferente do propagado pelo governo.

  • KB Investimentos (#)
    8 de fevereiro de 2017

    MP,
    De fato, até 1994 a inflação era um problema seríssimo.
    Existia até o emprego de remarcador de preços!

    Abs.