Controle Financeiro com Excel para iniciantes

Esse post é um publieditorial.

Aqui no meu trabalho, tenho um colega que, apesar de ser contador, me abordou um dia e disse “Oi, MP, bão? Seguinte, cara… sei que você é da área de TI e vou te dar uma sugestão: se você fizesse um aplicativo de controle financeiro você ia ficar rico!”.

O desenvolvimento de aplicativos móveis não é objeto desse texto, e sim uma coisinha só: até um contador (que, regra geral, tem muita afinidade com os números) tem dificuldades e às vezes quebra a cabeça para organizar suas finanças pessoais.

Já citei aqui no blog sobre o aplicativo GuiaBolso que, apesar de ser muito útil para mim, em algumas funcionalidades deixa a desejar.

Então, voltando ao meu colega. Ele é contador, trabalha com planilhas e números o dia inteiro e ainda assim tem uma resistência, uma dificuldade quando vai por no papel (ou no computador) suas finanças pessoais.

“A minha planilha é muito complexa”, disse.

Muitas pessoas apelam para o bom e velho Excel. Essa ferramenta da Microsoft é poderosíssima (é sério, você não tem noção do tamanho do poder do Excel. Acho que nem o Bill Gates sabe!). Enfim, o Excel pode te ajudar em dezenas de milhares de tarefas, inclusive seu controle financeiro doméstico.

Eu usei o Excel por muitos e muitos anos (lembro até hoje, o nome da minha planilha se chamava “Orc”, de “Orçamento”, mas toda vez que eu a via eu lembrada dos “Orcs” do Warcraft II).

Não é esse orc não, MP. É o orc do Controle Financeiro.

No Excel, você pode dividir os meses em planilhas diferentes, lançar tudo na mão e consolidar os dados em uma página inicial que te dá uma overview de tudo. É excepcional.

Para você que gosta de ter um controle maior sobre os números, não tem ferramenta melhor.

Além disso, no próprio Excel você pode criar suas planilhas de Independência Financeira. Eu uso a planilha do AdP para monitorar o andamento do meu patrimônio (é uma baita planilha, diga-se de passagem).

Um pouco sobre minhas planilhas

Estudos 2017

Salvo aqui os tópicos sobre tecnologia da informação (linguagens de programação) que quero aprender durante o ano. Tem também detalhes sobre os programas de pós-graduação que desejo tentar entrar. O Excel me ajuda a organizar as ideias.

Além disso tem uma lista de línguas que desejo desenvolver. Atualmente tenho Inglês e Espanhol. Esse ano fecho a primeira.

Home

Planilha principal. Aqui controlo todas as receitas e despesas e tudo o mais relacionado à minha casa. Tenho gráficos, porcentagens e zilhões de cálculos. Muito bom!

Divido as despesas e receitas em categorias e unifico tudo na dashboard principal. Tenho controle sobre quase tudo!

Para você que quer economizar, investir e aumentar o patrimônio, é obrigatório ter uma planilha dessas.

IF

É a planilha do AdP com algumas customizações próprias. Acesso praticamente uma vez ao mês, para lançar os aportes e descobrir quanto cada investimento rendeu.

Obviamente, IF significa Independência Financeira.

Nota para posteridade: não que a planilha do AdP seja ruim; ela é ótima, mas preciso desenvolver minha própria planilha de IF do zero, e passar aqui para vocês. Além de eu ficar mais seguro quanto as informações nela dispostas, já dá um belo de um post, não acham?

Web

Nessa planilha eu controlo os meus trabalhos extras de TI, inclusive nessa Pasta de Trabalho eu tenho uma planilha de controle financeiro somente dos meus trabalhos extras. Uma maravilha. É um orçamento dentro de uma grande planilha que tá dentro da pasta planilhas. É praticamente um inception de fórmulas hahaha.

Não vou detalhar todas as minhas planilhas, só estou tentando te mostrar o poder da ferramenta Excel. Tem gente que gosta de agrupar todas as informações em uma só, tem gente que prefere dividir.

Cada caso e um caso, você que adapta a ferramenta à sua necessidade.

Aprendendo Excel

Muita gente vê o Excel e pensa “Nossa, que tanto de números, fórmulas e células. Eu sou leigo, não sei nem desligar meu computador em segurança, imagina ‘pogramar’ nessa équiscéu, tá é doido, vou voltar para minha ‘Beth, a feia’, por que no episódio de hoje ela vai no salaum de beleza HU3HU3HU3”.

Gente, não é assim. o Excel é uma ferramenta como todas as outras. Exige um pouco do usuário no início, mas depois que você pega o espírito da coisa, daí é igual a zoeira, sem limites.

Eu nunca mexi muito no Excel. Porém, durante a faculdade teve um mini-curso presencial o qual participei, e adorei. Aprendi muitos macetes interessantíssimos. Gostei tanto que depois fiz um novo curso, dessa vez online, sobre Controle Financeiro (consegui um cupom de 100%, ou seja, ia aprender a poupar poupando).

O jabá

Apenas para registro, o curso que fiz é esse aqui e está com 100% de desconto. Utilize o cupom FORUM.

Controle Financeiro
Aprenda a poupar com o professor do Mestre Poupador. Controle Financeiro na sua casa já!

Não é uma pegadinha e não tem partes pagas. O curso inteiro está com 100% de desconto. Entre no site e veja, ele tem 5 estrelas. O pessoal gosta bastante. Recomendo.

Nesse curso você vai aprender a fazer seu Plano de Contas Gerencial, desenvolvendo sua capacidade de gerenciar seu capital.

Vou colar aqui algumas coisas que o curso propõe a ensinar:

  • Conceitos relativos a controle financeiro como receitas, despesas e fluxo de caixa.
  • Entender porque o ciclo PDCA (emprestado da Administração) é seu amigo.
  • Trabalhar com a planilha de Plano de Contas Gerenciais
  • Fazer lançamentos de entrada e saída e editar lançamentos na planilha
  • Construir a planilha espelho que conterá os resumos dos lançamentos mensais
  • Algumas dicas legais de uso do excel em geral (Sabe usar o F12 né?)
  • Montar a planilha anual com as contas a pagar e receber de cada mês.
  • Entender os 7 “baby steps” de Dave Ramsey para o controle financeiro
  • Como fazer simulações de investimentos e aproveitar o tempo a seu favor (esse item o MP gostou bastante)

 

Amigos, o blog ajuda você a economizar, então estou fazendo isso duplamente: primeiro, estou te recomendando um curso que vai te ensinar a controlar suas finanças e, consequentemente, economizar. Segundo, o curso é grátis!

Aproveite e vá aprender Excel!

Esse post é um publieditorial.

Google Finance: iniciando a utilização dessa ferramenta

Google Finance
Google Finance: vale ou não a pena?

Por várias vezes eu citei o Google Finance no blog (aqui, por exemplo). É uma ferramenta que descobri há uns meses atrás, quando comecei a estudar mais sobre economia e finanças.

É uma ferramenta bacana. Mas ainda não tive tempo de usá-la e espremer até a última gota de todo o seu potencial.

Vou dar uma breve introduzida nela aqui nesse post. Aperte os cintos.

Google Finance, ou Google Financeiro em pt_BR, é, segundo a Wikipedia:

Um serviço que apresenta a informações sobre empresas incluindo suas últimas decisões e também suas ações com um código em JavaScript que permite a visualização das ações no momento. Foi lançado em 21 de Março de 2006 e atualmente está em versão beta.

Ou seja, é uma mão na roda para acompanharmos os gráficos das ações na bolsa. O ruim (talvez para poucos de nós) é que está em Inglês.

Página inicial do Google Finance

Google Finance
Google Finance: Início

Aqui na página inicial, como de praxe nos serviços Google, temos um painel de controle onde podemos visualizar a maioria das funções.

1 – Menu principal

Aqui no menu principal temos os links para as outras páginas da ferramenta, obviamente. Irei explicar cada uma delas aqui no post. Simples e minimalista, como todos os serviços Google. Como eu disse acima, está tudo em inglês, mas isso não costuma ser um grande problema.

2 – Favoritos

Aqui na barra lateral esquerda você pode definir suas letras “favoritas”. Salvando ali do lado fica mais fácil para você encontrar sua variação no dia, por exemplo. As que coloquei aí são algumas amostras para você entender como funciona. Tem tanto de ações de empresas (como Petrobras – PETR4) como Fundos de Investimentos Imobiliários (MXRF11, por exemplo).

3 – Top Stories

Em Top Stories você vê as notícias sobre mercado financeiro mais relevantes para aquele momento. Para quem opera na bolsa, principalmente em outros países, é muito interessante.

4 – Create a Portfolio

Aqui é um atalho para você criar um portfólio. Um portfólio é uma categorização para suas letras/títulos. Como se fosse uma pasta do seu computador. No portfólio você coloca as ações categorizadas da maneira como se enquadrar melhor para você. Por exemplo: “Empresas Brasileiras”, “Empresas Americanas”, “Fundos de Investimento”…

Essa função é uma mão na roda. Facilita a categorização.

5 – Portfolios

Aqui são listados seus portfólios já criados. Como padrão, o Google nomeia como “my portfolio”, mas você pode mudar para o nome que preferir.

6 – World Markets

Em World Markets tem uma síntese de como anda as principais bolsas no mundo.

Rolando a página para baixo ainda tem alguns gráficos da indústria e informações sobre as moedas do mundo. É bem completo.

Notícias do mercado

Google Finance
Notícias do mercado do Google Finance

O próprio nome já diz, não tem o que detalhar muito. As notícias do mercado financeiro movem as altas ou baixas das bolsas, fato. O nível de acompanhamento depende de cada investidor e de seu tempo para investir nos estudos.

Eu acho muito importante acompanhar as notícias, principalmente as relacionadas a empresas em que o investidor deseja ter (ou já tem) ações.

Os portfólios

Google Finance
Google Finance: detalhes do portfólio

Como eu disse acima, os portfólios são uma forma de categorizar suas ações/empresas da forma que lhe convier.

No número 1, temos a lista de todos os seus portfólios. No exemplo acima só temos um, chamado de “My Portfolio”. O número 2 da ilustração indica o nome do portfólio que está sendo visualizado. Para criar um novo portfólio, clique no botão indicado pelo número 3.

O que mais achei interessante são as notícias relacionadas ao seu portfólio (Número 4 da imagem). O Google automaticamente seleciona as novidades referentes as letras/ações que você tem salvo. Muito interessante.

As letras de a a f na imagem indicam os campos de dados relacionados às letras do portfólio. Podemos notar a existência do código, preço de abertura, maior e menor preço, etc. Bem útil também.

Google Finance
Google Finance: gerenciando seu portfólio

Para editar os dados do portfólio é simples. Use os botões e caixas de seleção indicados na imagem (números 1 e 2). Para adicionar novos códigos (empresas), use a caixa de diálogo no número 3.

No item número 4 é possível você criar um portfólio automaticamente dos seus favoritos da barra lateral. Google sendo Google.

O Stock Screener (q?)

Google Finance
Google Finance Stock Screener

Rá! Tive que googlar isso. Vivendo e aprendendo né? Segundo a Investopedia, Stock Screener é “uma ferramenta que os investidores e traders usam para filtrar ações baseados em métricas pré-estabelecidas pelo usuário.

Em suma, é um resumão das ações que cumprirem determinadas categorizações estabelecidas por você. Você define o yield e filtra, por exemplo.

Ainda não usei a fundo essa funcionalidade, visto que sou um investidor-aprendiz, mas pelo visto é bem bacana.

Conclusão

Amigo, o Google Finance é uma ferramenta e tanto. Tem muitas funcionalidades e, acima de tudo, possui o padrão Google de qualidade.

Mas…

acredito que, para você que esteja iniciando, não seja indispensável. É uma ferramenta a mais, para te ajudar a olhar mais detalhes de uma empresa ou outra, além de notícias bem filtradas, mas não passa disso.

Ainda não tive tempo de esmiuçar todos os detalhes da ferramenta, mas, a princípio, me pareceu totalmente dispensável, visto que quando eu quero procurar detalhes de um Fundo ou Ação, eu jogo direto na caixa de pesquisa padrão do Google e ele já me retorna as principais informações. Veja o exemplo:

Google Finance
Google Finance: dispensável para beginners.

Na imagem acima, ao simples digitar de PETR4, ele já me retornou muita coisa interessante sobre a empresa (vide gráfico).

Enfim, é bom, é um recurso a mais, mas obviamente não é a principal ferramenta que você vai utilizar.

Como já falei várias vezes, quem define tudo é você: o quanto quer aportar, onde irá aportar, em qual frequência e por quanto tempo. Tudo está na sua cachola. Todas as tecnologias que existem servem apenas de suporte e como “facilitador“.

Espero que tenham gostado do review.

Um abraço do MP.

Como ganhar renda extra: a busca do Santo Graal da Independência Financeira

Um dos assuntos mais comentados na blogosfera financeira, aka Finansfera, é a tal da Renda Extra. No contexto desse post, Renda Extra se difere de Renda Passiva, que são os rendimentos obtidos pelas aplicações, sem trabalhar ou quebrar a cabeça para isso, ou seja, renda passiva mesmo. O que quero comentar hoje é sobre a Renda Extra, aquela que você ganha fazendo “bicos” ou trabalhos importantes fora do horário comercial ou fora do seu ambiente de trabalho normal (titular).

Como ia dizendo, a busca pela melhor forma de Renda Extra é bem comentada na Finansfera, e também fora dela. Já li sobre muita coisa, e também já tentei muita coisa. Vamos tentar esclarecer alguns pontos de vista aqui. Aguardo vocês nos comentários.

Renda extra
Shut up and give me minha Renda Extra!

Por que buscar a Renda Extra?

Qual motivo leva as pessoas a buscarem um dinheiro extra? Podemos observar que nem todos a buscam, por que muitas pessoas já estão satisfeitas com seu salário atual e preferem praticar algum hobby ou descansar no tempo livre. Outras usam o tempo livre para fazer faculdade ou alguma pós-graduação, nada mais natural.

Mas e aquelas pessoas as quais o trabalho atual não demanda tanto esforço físico e mental e conseguem ter energia para dispender atenções para outros projetos? Esse é o ponto. Algumas pessoas sentem que tem energia e podem produzir o suficiente para tirar um extra ao final do mês.

O fato de chegar em casa após um dia de trabalho e não ter nada produtivo ou recompensador para fazer pode ser a pior tortura do mundo. Nem todos chegam esgotados em casa após um dia de trabalho e querem tentar dar um up na carreira ou no orçamento.

E mais, tentar obter renda extra fora do horário de trabalho (à noite) não é regra. Muitos conseguem produzir algo durante o tempo do trabalho principal. Por exemplo, aquelas pessoas que trabalham com internet e tem um computador e tempo de sobra (às vezes) no trabalho.

Ok, aí acima eu tentei descrever a motivação do cidadão para buscar um extra. Mas e agora? O que fazer? Energia e tempo já se tem, o que falta agora é o principal: o que the hell eu vou fazer?

Qual a melhor forma de se obter Renda Extra?

Freelancer

Muitos profissionais hoje em dia, com a ajuda da interwebs, podem tirar um extra fazendo bicos, trabalhos freelancer por aí. Designers, redatores, tradutores, desenvolvedores… muita gente consegue tirar um dinheiro trabalhando sem horário fixo.

Existem muitos sites por aí que dão essa possibilidade: ao contratante, dá uma forma de encontrar mão de obra; ao freelancer, dá a possibilidade de encontrar projetos. Dê uma fuçada e crie seu perfil… vai que.

Só fique atento para não se candidatar a projetos grandiosos demais, os quais te tiraria muito do seu tempo e sua energia. Pondere e pense muito, ok?

Dar aulas

Existem os tipos de profissionais carismáticos e com a didática no sangue. Gostam de pessoas, gostam de falar em público e tem uma tremenda capacidade de ensinar. Para essas pessoas não há nada melhor que dar aulas, e opção não falta: mande currículo para escolas, para universidades, para sites (hoje em dia as aulas online aumentaram muito). Crie um site para dar aulas! Boa ideia, hein?

Enfim, acredito que não falta oportunidade, só se tem que achar o caminho certo.

Há alguns casos onde o salário das aulas se equipara ao salário do trabalho “principal” da pessoa. Vale a pena!

e-Business

Os comércios digitais invadiram as vidas das pessoas de uns anos pra cá. E esse nicho realmente pode ser uma boa sacada. O problema é ter tempo no início para se dedicar bastante.

Fazer uma carta de venda, prestar suporte, configurar o site, fazer backup, configurar o Google… Não é fácil, mas depois de pegar o fio da meada, pode ser que a poeira abaixe.

O problema do e-Business é que se deve ter bastante expertise e know-how. Talvez valha a pena abrir um negócio online apenar para diversão e aprendizado (com certeza se aprende muito). Porém a dor de cabeça de talvez precisar instituir uma Pessoa Jurídica, contratar um contador e declarar o Imposto motherfucker de Renda, talvez faça as pessoas desistirem.

Enfim, é uma opção. Existem milhares de programas de afiliados por aí. O Google Adwords também pode te ajudar a divulgar sua barraquinha online.

Vender “a porrah da uva”

Ontem eu li um texto de um colega blogueiro, o Mestre dos Centavos, e ri bastante quando ele disse “Vendendo uva!!! Isso mesmo, a porrah da uva!”. Ele se referiu a capacidade que a fruta tem de dar retorno financeiro quando tudo conspira a favor (localização do vendedor, por exemplo).

Palavrões e piadas a parte, hehehe, quero ilustrar com esse tópico (leia o artigo do camarada também) que há dinheiro em todo lugar. A pessoa só tem que fazer a coisa certa e espremer os centavos de tudo quanto é canto.

Dedicação, inteligência e competência: talvez com a junção desses três fatores possa trazer uma grana para você, seja de uvas, seja de aulas, seja de comércios eletrônicos.

Da Renda Extra versus Concurso Público

Em alguns casos, a pessoa prefere investir seu tempo e energia em conhecimento. Conhecimento para ser aprovado em algum Concurso Público, por exemplo. Os concursos públicos são uma das formas mais procuradas de trabalho, devido a sua estabilidade e, em alguns casos, remuneração melhor que a da iniciativa privada.

O problema de estudar para concursos, se é que podemos chamar de problema, é o foco. Para passar em um bom certame é necessário muito tempo de estudo. E aquela bendita reflexão sempre bate à nossa porta: “enquanto me mato nesses livros, eu poderia estar fazendo muita coisa melhor”. A sensação de “tempo perdido” deixa um grande vazio dentro da pessoa. É necessário muito equilíbrio e determinação para escolher esse caminho.

Atualmente eu sou servidor público federal e já passei por isso. Estudei focado por 6 meses para um grande concurso, mas após alguns acontecimentos na minha vida tive que dar uma pausa. Essa pausa me fez refletir um pouco e, atualmente, trabalho como autônomo em TI, como forma de obter renda extra.

Nada impede de voltar a estudar para concursos futuramente. Eu me sentia bem motivado, na verdade. Aprender coisas novas a cada dia é bem recompensador. Mas para estudar assim é preciso foco, tempo, energia, dedicação e dinheiro. Tudo isso somado!

Enfim, caso você opte por esse caminho, boa sorte! É um tiro que, se você acertar, ganha a estabilidade necessária para buscar outros projetos “por fora” mais tranquilamente.

O problema do foco

Renda extra.
Renda Extra: mantenha o foco.

A palavrinha mágica, que citei em quase todos os tópicos acima, e cito em quase todas as minhas postagens é foco. Sem ele, nada somos. E alcançar esse cálice sagrado da super concentração a longo prazo é difícil, pelo menos para mim.

Estudar a tecnologia XYZ ou a ABC? Criar um novo site que vende Frangos Albinos ou uma rede social para Blogueiros Tetudos? Da mesma forma que o mundo atual nos oferece uma enxurrada de opções, nossa cabeça fica perdida para decidir em que apostar todas as fichas. Mas, afinal, é necessário escolher uma coisa só? Não é possível ser focado em tudo? Ou ter um foco mais abrangente, por exemplo, “focar em ganhar dinheiro extra” ou “focar em vários pequenos empreendimentos” ?

É uma discussão que daria várias e várias linhas e comentários. O que é preciso para termos foco? Devemos fechar os olhos para todas as outras opções que a vida/internet/globalização/mercado nos dá?

Até hoje, meu amigo, eu não descobri.

Dedicação e disciplina realmente dá resultado?

Parece história de contos de fadas: a pessoa nasceu pobre, estudou em escola pública, catava latinhas para sobreviver, estudava no tempo livre e  conseguiu passar em medicina na melhor faculdade do Brasil. Não estou querendo minimizar ninguém, muito longe disso. O que eu quero é ilustrar um consenso mundial do “work hard”. Até que ponto devemos trabalhar duro, dedicar e investir tempo e energia em algum negócio (seja estudo, empreendimentos, relacionamentos) para que ele dê resultado? E se ele nunca der resultado?

Eu acredito que quando se trabalha com disciplina, dedicação e foco sempre há um resultado. Talvez não um resultado financeiro, mas com certeza um resultado intelectual. O tanto de coisa que se aprende quando se envolve em algo é surpreendente, é quase uma nova faculdade. É a vida jogando seu jogo.

Conclusão

Procure um nicho interessante e aposte sua energia e seu tempo nele, o mínimo que você vai ganhar é muito conhecimento e experiência. Eu penso dessa maneira, tanto que já tive milhares ideias na vida e nenhuma definitivamente “foi para frente”, digamos assim.

O que interessa é o quanto você aprendeu para evitar os erros futuros. Um dia a gente acerta a mão e descobre o Santo Graal da Independência Financeira.

Com certeza não é da noite para o dia, nem como mágica, porém existem nichos mais propensos a dar resultado do que outros. Nos resta achar um ramo específico e trabalhar em cima. Seja para desenvolvimento intelectual, emocional, profissional.

Abraço.

Fechamento do mês de mar/17: despesas, receitas, aportes e mais

E aí, meu amigo, como vai? Mais um post de fechamento do mês.

Principais receitas

Esse mês de março, e esse início de ano em geral, estão sendo bem regrados nos aportes. Como irei viajar em abril, tive que optar por investir na minha saúde e diversão ao invés de na minha carteira.

Enfim, esse mês foi fraco. Minha principal receita foi meu salário “titular“. Não consegui nenhuma renda extra, pois meus contratos de TI começaram a valer agora, então só farão 30 dias em abril. Espero que em abril eu já comece a colher os frutos do início do ano puxado.

Principais despesas

Devido a viagem que faremos, o cartão de crédito veio gordo. Tive que fazer uns malabarismos para conseguir encerrar o mês sem usar o cheque especial.

Além disso, tive que, infelizmente, apelar para minha reserva de emergência. Usei para quitar a fatura do cartão e ficar com a cabeça mais tranquila. Quando tenho dívida daquele tamanho fico incomodado.

Portanto, tive que tirar do meu patrimônio um pouco. A reserva de emergência serve para isso! O “grosso” do meu patrimônio tá bem guardado e bem investido. Só tirei uma lasquinha. Cheque especial ou juros rotativos: NEVER!

Aportes

No meu fechamento do mês de fevereiro/2017 eu disse que, também por conta da viagem, não conseguiria aportar nada. Mas no fim das contas eu aporte, beeeeeeeeem pouco, mas aportei, melhor que nada. Até comentei aqui com vocês. Tinha uma graninha na conta da corretora (a renda passiva dos FII) e as usei para reaportar.

O sentimento de ganhar dinheiro passivo é muito bom. No meu caso ainda é bem pouco, mas aos poucos só vai aumentando.

Enfim, esse mês irei aportar pouco também. Mas é melhor que nada!

Acho que manterei o mesmo time, que está ganhando, e continuarei nos FII. Irei de MFII11, pelos seguintes motivos:

  • Quero diversificar um pouco a carteira dos FII;
  • O yield nos últimos doze meses dele está bom – 13,3%;
  • Com a SELIC em baixa, a tendência é os FII melhorarem (creio eu);
  • Pagamento mensal;
  • Quero ter mais uma fonte de renda passiva na minha carteira dos FII.

Mesmo que não aporte muito, estou aportando sempre.

Meu Tesouro Direto segue firme forte lá, e tenho uma graninha na poupança também.

 

FII

Então, como eu disse acima, optei pelo MFII11.

O fundo não está nos seus melhores momentos, visto a queda da demanda por imóveis residenciais. Porém, na verdade não me preocupo tanto. Tenho a expectativa que a cota cresça futuramente (sou um buy and holder). Sem problemas, vou aportar e esperar os dividendos do mês que vem, assim eu comparo com meus outros FII e posto aqui para vocês.

A expectativa é um pouco mais de 1% mês. Veremos.

Aqui tem mais detalhes do fundo. Joguei no meu portfólio do Google Finance também!

Estudos

Esse mês consegui cumprir minha meta diária de estudo de Espanhol (tirando os finais de semana). Uso o Duolingo e acesso sites de notícias dessa língua para imersão. Tem uma extensão do Google Translate para o Chrome que ajuda muito a traduzir palavras não conhecidas (usava mais para o Inglês, visto que o espanhol é muito parecido com o pt_BR).

Fechamento do mês.
O mascote do Mestre Poupador (outro?) largou as dorgas. Agora ele é analista financeiro e está nos ajudando com o fechamento do mês.

Quanto às tecnologias não estudei nenhuma nova. Acredito que eu já tenha passado da fase de “programador hard code” e estou mais na fase de “Gerente de Projetos“. Pegar um script pronto e implementar em algum negócio online, por exemplo. Poucas alterações no software, usar as tecnologias como usuário final para poder tirar o melhor delas e não perder tempo. Posso estar errado? Sim. Mas é um ponto de vista diferente. Vamos ver o que dá.

Expectativas para abr/2017

Acho que em Abril tudo começará a florir novamente e poderei entrar quente nos grandes aportes novamente. Meu salário vai aumentar (ihulll) e meus projetos de renda extra vão começar a ser pagos periodicamente (assim espero).

Dessa forma, posso zerar a fatura do cartão de crédito e quitar as prováveis dívidas da viagem. Voltarei a aportar mais e, nesse ano ainda, quero começar a estudar sobre as ETF (principalmente a IBOVESPA).

Fechamento
Mestre Poupador com uma arma. Mentira, é o 24 horas, rs

Tell me about the numbers

É isso aí, toma a planilha do mês:

Fechamento do mês de abril de 2017
Fechamento do mês de abril de 2017

A variação é quanto o investimento mudou do dia 1/03 até o dia 1/04. Nota-se uma baixa grande na poupança, pois fiz uma retirada na minha reserva de emergência, infelizmente.

O rendimento real é quanto rendeu sem contabilizar os aportes. Fiz o cálculo tirando o aporte do mês para ter ideia do yield.

O campo % carteira dispensa explicações, né galera? É a proporção que aquele investimento tem na minha carteira total.

É evidente que a maior parte do patrimônio tá na poupança. Apesar de eu falar muito para vocês não segurarem dinheiro na poupança (que realmente é um rendimento pífio), ainda não tive a oportunidade de mover todo esse patrimônio para algo mais rentável. Estou estudando a melhor estratégia para fazer isso.

Além disso, como ainda estou estudando, não estou totalmente seguro em fazer uma operação dessas com uma quantia considerável de dinheiro. Aos poucos vou mudando de investimento, com certeza!

É necessário fazer uma menção honrosa aos meus FII que renderam 4% (não de aluguéis, e sim de valorização de cota).

Por que não divulgo dados mais detalhados?

Amigos, uns três ou quatros colegas já me perguntaram ou pediram dados reais e detalhados da minha situação financeira. O fato é que eu sou facilmente  reconhecido na internet. Não que eu queira ser anônimo, como a maioria dos colegas da Finansfera, longe disso, mas não fico a vontade de colocar minha vida financeira tão detalhadamente, pelo menos por enquanto, entendem?

Manterei o formato de porcentagem, ok? Espero que vocês compreendam.

Posts mais lidos

Os três posts mais lidos do blog nesse mês foram:

Conclusão

Pessoal, daqui uns dias vou viajar em férias, vou tentar poupar ao máximo para poder aportar quando eu voltar. Além disso, como a viagem foi planejada, está tudo no orçamento e sob controle.

A partir de abril tudo volta a melhorar e voltarei a aportar  muito mais!

Até a próxima!

Aumentei minhas receitas, e agora?

Acredito que um dos maiores males da saúde financeira é o efeito “aumentar despesas à medida que aumentar as receitas”. É um processo natural do homem: buscar mais conforto para ele e para sua família sempre. O maior problema de sempre querer mais é que, se um dia, por algum acaso, formos obrigados a ter menos, a coisa complica.

Imagine a seguinte situação hipotética. Joãozinho das Couves recebia R$2.000,00 mensais. Ele gastava com aluguel de sua casa, internet e telefone, combustível e supermercado R$1.500,00 por mês. Depois de dois anos de trabalho duro ele consegue uma promoção e seu salário vai para R$2.500. O que, naturalmente, Joãozinho faz? Se ele se deixar levar pelo instinto humano, vai ficar mais confortável para adquirir novos passivos. Ele vai lá e compra um carro zero, com um financiamento em 36 vezes de R$600,00.

Ele recebeu aumento? Sim. Vai ter uma vida mais confortável? Sim. Sua saúde financeira melhorou? Não, tá na mesma. Ganhar R$1.000 e gastar R$900 é o mesmo que ganhar R$1.000.000 e gastar R$900.000.

Não importa o quanto você ganha

A saga de todo ser humano é sempre ganhar mais. Ter altos salários é a única preocupação de um funcionário, de alguém que está no mercado de trabalho. O problema é que, com os altos salários, vem as altas despesas.

A mentalidade austera é que define a situação do seu bolso. Não interessa quanto entra, e sim o quanto sai. E o que sai tem que ser menos (bem menos, de preferência) do que entra. Começa por aí.

Como está escrito no título: não importa quanto você ganha. Estamos cansados de ver milionários se dando mal por aí. A chave está na sua cabeça, e não no seu bolso.

São atitudes simples que fazem você manter sua saúde financeira: gastar menos que recebe, poupar todo mês, ter uma reserva de emergência, não se endividar, evitar financiamentos/empréstimos com altos juros, diversificar os investimentos. Esse é o bê-á-bá da inteligência financeira.

Receitas.
Calma, Bela Gil. Não é esse tipo de receitas que estou falando.

Não sou nenhum expert (apenas um Mestre, hehehe), mas sempre tento passar ao leitor a importância de se ter um certo rigor com as economias.

Como se controlar

Ter um controle rigoroso das despesas não é fácil. Mas vou dar algumas dicas para tentar ajudar:

Imagine que ganha menos do que você ganha

Bem “tosca” essa ideia, mas consiste em você programar sua mente para achar que você ganha um pouco menos do que realmente ganha. Isso pode dar uma freada na sua compulsão por gastar.

Outra técnica é você por na cabeça que “no final do ano vou fazer tal coisa que envolve muito dinheiro”. Com essa mentalidade, pode ser que você tenda a gastar menos. “Em dezembro vou para o Ceará curtir as férias, não posso comprar esse enxugador de gelo top-therm multi-velocidades por módicos R$699,47”. É mais ou menos essa a ideia.

Repito, é meio idiota, mas nosso cérebro funciona mais ou menos assim: condicionamento.

Pegue a diferença e aplique

No caso supracitado do Joãozinho das Couves, ele devia pegar o valor recebido no aumento (R$ 500,00) e aplicar em algum lugar. Dessa forma, além de estar formando seu patrimônio, ele se condicionaria a manter os gastos usuais de sempre.

É como se ele não tivesse recebido o aumento. Meio contraditório, mas funciona. Porém é muito difícil. Pegue o valor do aumento e aplique, guarde em algum lugar, mas mantenha seus gastos mensais no mesmo patamar.

Cubra um santo, mas descubra outro

Caso a nova despesa seja essencial, imprescindível, você terá que cancelar sua TV por assinatura, Netflix ou aquela ação do clube para cobri-la. A ideia aqui é manter os seus gastos em X, mesmo que suas receitas aumentem, lembra?

Dessa forma, você deve se desfazer de um passivo para conseguir outro. Quanto menos passivos, melhor, ok?

Coloque um limite

Um orçamento bem planejado ajuda muito nessas horas. Coloque um limite de gastos mensais e cumpra sua meta. Independente dos incomes do mês, seus passivos devem ficar naquele patamar estabelecido e ponto final.

Simplesmente controle-se

Tenha força de vontade e aprenda a dizer não para si mesmo. Sim, é ótimo comprar aquele celular da moda ou aquele tênis descolado, mas se você continuar com essas compras inúteis nunca alcançará a famigerada Independência Financeira.

Opte por um celular razoável e um tênis mediano e poupe o restante. Evite novos passivos.

O que fazer com tanto dinheiro

O brasileiro tem um vício horrível de se endividar e querer colocar dinheiro onde não precisa. Como disse na fábula do Joãozinho das Couves, ele mal soube da notícia da promoção e já foi comprar o carro. Não seja um Joãozinho das Couves! Se tem dúvidas de onde aplicar/gastar seu dinheiro, faça o seguinte:

  1. Ponha a grana na poupança;
  2. Evite fazer novos gastos;
  3. Comece a estudar finanças;
  4. Abra uma conta em alguma corretora de valores;
  5. Escolha o melhor investimento pra você;
  6. Passe a aportar todo mês.
Receitas
Aumentar receitas e manter despesas: Palmirinha approves!

Nota importante, o passo 1 – Poupança é temporário, apenas para você ganhar fôlego para escolher o melhor investimento para você sem torrar toda sua grana. Ô mania boba que o brasileiro tem de gostar de ver a conta corrente no vermelho!

O maior problema

Não há mal algum em sempre querer ganhar mais dinheiro. Como disse, o problema é querer gastar mais. Só que tem uma situação que pode ser considerada uma tragédia. Você passa a ganhar mais, isso faz você aumentar seus passivos quando, de repente, por algum motivo qualquer, você passa a receber menos de novo.

Nos colocando no lugar do Joãozinho, seria como se ele ganhasse inicialmente R$1.500,00, depois passasse a ganhar R$2.000, e depois R$1.000,00, por exemplo. É como se ele tivesse perdido o emprego mas logo depois conseguisse um pela metade do salário.

Nessas horas você deve começar todo o processo de se desfazer dos seus passivos. Vender o carro e comprar um mais barato, talvez. Cancelar assinaturas diversas. Mudar de apartamento. Agora que sua inteligência financeira será colocada à prova.

Como diria os Stark, o inverno está chegando. Ter uma atitude precavida e guardar dinheiro sempre se mostra útil nessas horas. Torcemos para o melhor, mas nos preparemos para o pior!

Reserva de emergência

Nessas horas é comum a pessoa recorrer à reserva de emergência. Não há problema nisso! O que você não pode fazer é tornar a RE uma regra. Ela é a exceção. Use-a apenas para colocar ordem na casa e reorganizar suas finanças, ok? Quando a tempestade abaixar, volte formá-la.

Conclusão

Amigo, se controle. Ache o meio termo entre conforto e austeridade. Não precisa viver como um miserável, apenas ache o ponto certo entre gastar e poupar.

Seguindo todas as regras que comentei no post, caso algo dê errado você conseguirá se reerguer com maior tranquilidade.

Comente aí embaixo sua opinião.

Até a próxima!