Como economizar no supermercado?

Saudações, fiel leitor,

hoje eu quero compartilhar com você um pouco da minha expertise em supermercados, ok? Espero que seja de valor para você.

O supermercado é mal

O supermercado é como se fosse um abatedouro. Os consumidores entram lá e saem com seu bolso triturado. Tudo dentro do supermercado é arquitetado minuciosamente para potencializar o seu consumo. Quer um exemplo? Itens da cesta básica (óleo, arroz, feijão, macarrão, café, pão, carne) ficam no fundo do supermercado. Para quê? Para você passar por todos os itens supérfluos e inúteis no caminho. Isso aumenta a chance de você fisgar um produto nesse meio-tempo.

Crianças x supermercados
Não tenho nenhuma ideia de pra que serve esse artefato amarelo elíptico mas vou levá-lo mesmo assim! Amo supermercado!

Supermercados são traiçoeiros. Deixam os produtos infantis nas prateleiras menores, justamente para os pimpolhos olharem mais facilmente. Além disso, várias embalagens vem com o personagem/mascote com os olhos desenhados de uma forma que a criança perceba que ele está a olhando. Conspiratório? Eu acho que não. (Outra dica interessante que lembre nesse ponto: se você tem filho pequeno e se tem a opção de não levá-lo as compras, não leve-o às compras).

Além das supracitadas, existem inúmeras artimanhas usadas nos mercados para aumentarem o lucro. Resta a nós ficarmos espertos e não cairmos nisso. É difícil, mas temos que pelo menos tentar fazer nossa parte.

E aqui vou dar uma dica mais manjada que nariz na cara, mas que ainda assim muita gente não a pratica: usar as fucking listas.

Já citei aqui e aqui sobre minha mania de organização, minimalismo e listagem de coisas. Tudo isso também se aplica à ida ao supermercado.

Faça lista de compras

É simples. Ainda na sua casa, anote o que você precisa. Vá ao mercado. Só compre o que está na lista. Pague. Volte.

Desafiador demais, correto? Teste você mesmo. Crie esse desafio e veja se consegue cumprir: só comprar o que tá na lista. É praticamente impossível.

Eu costumo alimentar minha lista de compras no decorrer da semana. Sempre que um item acaba, vou lá e anoto no Wunderlist. Não deixo para anotar tudo no dia de ir ao supermercado, pois corro o risco de esquecer alguma coisa ou inventar coisa demais para comprar.

Ah, uma outra dica já manjada também, mas importante: não vá ao mercado com fome. E isso se estende ao momento que você está fazendo a lista: se fizer a lista com fome, com certeza nela estarão itens como: doritos, nutella, bolacha, picanha, etc. Fique atento!

Coma primeiro, faça a lista depois!

Repeteco

Bem, acho que você já entendeu o espírito da coisa, vamos dar uma breve pincelada:

  • Não ir ao mercado sem uma lista de compras;
  • Preencher à lista no decorrer dos dias, não toda de uma vez;
  • Não preencher a lista com fome;
  • Não ir ao mercado com fome;
  • Tentar comprar somente o que está na lista – Dica Ouro, Desafio Master.

    Challenge accepted. lol
    Missão supermercado: desafio aceito.

Do desafio

Sabe quando aqueles YouTubers inventam os desafios, como:

  • Hoje eu vou encher minha banheira de água sanitária e passar a noite aqui, hue;
  • Hoje eu vou comer melancia com ketchup de cabeça pra baixo;
  • Hoje eu vou injetar heroína no pé e ver se dá onda;
  • Infinitas outras opções de chamar atenção.

Então, faça você mesmo seu desafio e vá ao supermercado com uma lista e compre somente o que estiver lá. Não vale trapacear.

Você vai chegar em casa tão leve! Te garanto! Menos dinheiro gasto, menos coisas para estocar, menos menos menos. Maravilha.

Conclusão

Faça uma lista de compras. Organize-se. Organize sua vida e suas finanças. Você só tem a ganhar.

O supermercado é uma máquina de sugar dinheiro, fique atento.

Caso consiga fazer isso, comente aqui e me conte. Quero muito saber.

Abraços!

 

Como perdi dinheiro desistindo de um apartamento?

Olá, fiel leitor apartamento!

Hoje vou contar uma história tensa, huehue. Como rasguei notas e notas de dinheiros no ano passado com a compra e venda de um apartamento, e como aprendi a lição e tô vacinado.

A compra do apartamento

No final de 2015 decidi comprar um apartamento na minha cidade natal. Estava feliz com meu trabalho atual e pensava em me casar e ficar por lá mesmo. Fui atrás de um corretor que me apresentou um empreendimento bem bacana que estava sendo construído e era bem próximo ao meu trabalho, em um bairro promissor.

Caí na lábia e comprei. Dei uma boa grana de entrada (dividido em 5 meses) e o resto seria financiado.

Como o imóvel era na planta, ainda estava em tempo para isso tudo, pois ia ficar pronto somente 8 meses depois.

Os pisos do apartamento

Como o imóvel estava sendo construído, optei por trocar os pisos, colocar um porcelanato melhor, foi mais dinheiro envolvido. Ai meu coração! Construir sempre dá dor de cabeça, já dizia o Mestre Yoda (meu amigo VdC acha bom…).

A decisão

O tempo passou e vi que a cidade não estava me agradando. Primeiro pelo meu trabalho, que se tornara monótono. Segundo por que a cidade era pequena, e eu queria arriscar morar em uma cidade maior. Terceiro, a formação da minha namorada demandava um centro comercial maior, ali naquele buraco ela não encontraria um emprego bom.

Vi também que a parcela do financiamento iria tomar uma boa porcentagem do meu salário. Comecei a ter medo, muito medo.

A sensação de ter feito merda é a pior coisa que um homem pode experimentar. Anote isso aí.

De repente, eu e a mulher conversamos e decidimos jogar tudo pro alto: cancelar a compra, vender o “ágio”, mudar para uma cidade grande (que fica bem próxima a minha cidade natal, na verdade).

Liguei para o corretor e falei que havia desistido da compra.

Agora que começa o verdadeiro martírio.

A venda

O vendedor, meu amigo, diz que ia passar a fatídica informação ao dono do empreendimento (que já havia se mostrado bem, digamos, “casquinha”).

O senhor construtor não recebeu a notícia muito bem. Diz que não aceitaria a desistência e que continuaria com a “papelada” de qualquer maneira, até mesmo por que eu havia feito alterações na estrutura do imóvel (pisos). Gelei.

Era hora do duelo.

Esse Lannister não tem apartamento, com certeza.
Mestre Poupador se preparando para o duelo com o construtor do apartamento

Eu estava acuado. Não podia vender o que nem havia terminado de comprar. Foram dias tensos. Até que decidimos entrar na justiça.

Fizemos a papelada, contatamos o advogado. A princípio enviamos uma notificação extra-judicial para o senhor-construtor-cabeça-dura para ver se ele pegava as chaves de volta. Nada.

No dia que íamos dar entrada no processo de distrato contratual, o corretor me liga dizendo que achou um comprador (no caso, a pessoa pagaria como se fosse um ágio para mim, e financiaria o resto).

Nós nos aliviamos e vendemos pelo preço que o cara gritou. Ou seja, perdemos mais da metade da entrada que tínhamos dado meses atrás. Falha do Poupador.

O recebimento

Fechamos a venda, o comprador me prometeu pagar no final do ano (até então ainda eram meados de maio). Perdi muita grana.

Mas fiquei com a consciência mais leve, e o bolso mais cheio por causa das parcelas que eu não iria pagar mais. Foi um alívio!

E sim, recebi essa grana normalmente, conforme o combinado. Trabalhar com pessoas honestas é gratificante.

A lição

Aprendi que nunca mais vou comprar um imóvel.

Brincadeira, nunca mais é muito tempo. Mas vai demorar para eu comprar meu próprio imóvel, e se eu comprar vou tentar pagar à vista.

Financiar apartamento: alegria?
Para minha alegria, vendi o apartamento

Aprendi também a não tomar decisão por impulso e a pensar um milhão de vezes antes de comprar coisas caras.

Conclusão

Seguinte: pense muito antes de fazer qualquer compra, principalmente as que envolvem grandes quantias de dinheiro. A burocracia para se desfazer uma compra dessas é enorme. As noites em claro, a ansiedade e a angústia são indescritíveis.

Só compre seu imóvel quando estiver estável no seu emprego, tiver um pé de meia e a parcela do financiamento couber no seu orçamento sem problemas (a parcela + o valor do condomínio não podem passar 30% da renda familiar, lembre dessa regra!).

Depois desse episódios, e de mais alguns isolados que já contei aqui, eu decidi mudar minha mentalidade. Ser mais poupador, mais atento, mais antenado, ser minimalista, parar de comprar coisas inúteis, etc.

E você, já deu alguma bobeira dessas?

Drops #4 – Folga, quase no feriado

Isso aí pessoal, chegando ao final de mais uma semana, e já é carnaval.

Na próxima semana teremos menos dias dias para produzir, então adiante-se e já produza o máximo que conseguir na data de hoje.

Folga fail

A folga de ontem deu ruim, achei que o pessoal ia folgar mas foi um ledo engano, teve horário normal de serviço. Nada a se preocupar, continuamos com o jogo.

Cansaço

O fim da semana vai chegando e nossa bateria também. Produtividade já começa a abaixar o nível e o cansaço tomando conta do corpo e da mente.

Freelas

Nesse carnaval, nada de pernas pra cima: tenho um pequeno projetinho para terminar e entregar para o cliente. Esse cliente ainda não me pagou um centavo, mas fazer o quê. O jeito é entregar e rezar para me pagarem até março.

Cerveja só após as 18h.

Expectativas para próxima semana

Conta corrente chegando à estaca zero, o jeito é torcer para receber o salário no dia 1º, o que acho difícil pois é carnaval. Não quero tirar nada dos investimentos, mas se não tiver como vai ser a saída. Cheque especial ou empréstimo: JAMAIS.

Além disso tenho uma reunião de uma nova ideia que tive, à medida que for dando certo vou publicando aqui.

Até mais!

Como economizar na compra do seu notebook?

Fala pessoal, como estão as coisas?

 

Hoje vou escrever a vocês sobre como fiz para trocar de notebook sem gastar tanto. Peguei, inclusive, uma máquina melhor.

Segue jogo…

 

O vício por gadgets

Conforme já citei em outro post, gosto muito da área de tecnologia, sou um estudante do assunto. Esse meu interesse sempre me despertou uma grande vontade de consumir novidades do mundo tecnológico. Já comprei Kindle, video-game portátil, troco frequentemente de notebook e celulares etc. Fico sempre antenado nas novidades.

O grande problema dessa incessante vontade de consumo é, obviamente, os gastos supérfluos e desperdício de grana.

Depois de perder rios e rios de dinheiro comprando coisas desnecessárias, fui aprendendo a lição, tanto que fiz esse blog. Enfim, atualmente sou bem mais consciente na hora de comprar novos gadgets eletrônicos.

Essa minha mentalidade poupadora veio na hora certa. Meu notebook começou a dar muita despesa com conserto. Ele não estava aguentando mais, já havia ido para o conserto duas vezes, a tela estava quebrada, o cooler parou de funcionar… tava difícil mantê-lo. Infelizmente, tive que optar pela compra de um “novo”.

O notebook antigo

Meu Dell antigo era uma máquina excelente. Comprei um preço justo e foi o melhor computador que tive. Com o tempo e o uso ele foi se desgastando aos poucos, e chegou num ponto que sua manutenção estava insustentável, e eu tinha risco de perder meus dados.

Com muito pesar eu tive que me desfazer dele e tentar adquirir um novo sem gastar muito.

Fiquei em alguns dilemas: comprar um usado ou um novo? Comprar um melhor, equivalente ou pior que o meu atual? Comprar um desktop?

Applebook laptop
Applebook do Mestre Poupador

Depois de muito pesquisar e cair na real que os preços de notebook estão um absurdo aqui no Brasil, optei por comprar um usado no Mercado Livre e, pasmem os senhores, fiz uma excelente compra!

O notebook “novo”

Comprei uma super máquina superior à minha atual, pela metade do preço do mercado. Foi uma ótima escolha. A máquina era usada mas nem parece, roda o sistema operacional muito bem e parece que vai aguentar o tranco. Paguei R$1.400,00.

Eu estou gostando mais desse notebook do que do antigo. O único porém é que a vida útil da bateria já foi-se embora, então ele tem que ficar plugado na tomada todo o tempo, mas isso não é problema pra mim pois eu uso notebook como um desktop.

Além disso, ele é um pouco mais pesado, mais parrudo, mas sem problemas também. Estou gostando bastante.

A venda do antigo

Cifrãozin
Mascote Poupador utilizando o novo-velho notebook. Procurando cheeseburguers.

Por sorte, vendi o meu antigo (estragado, porém usável) para um parente. Ele me pagou metade do preço do notebook que eu comprei. Ou seja, se pensarmos positivamente, tive 50% de desconto!

Conclusão

A dica é: se precisa comprar algo que é caro, pense se vale a pena comprar usado. Tem milhares de pessoas aí querendo se desfazer do que você precisa. Veja no Mercado Livre, OLX, eBay, AliExpress… tem muita opção. Tente vender o seu produto usado por la também, às vezes dá para descolar uma graninha!

Espero que tenham gostado dessa dica…

 

Um abraço e até a próxima

 

Drops #3 – folga, foco, fosfato

O fosfato no título foi só para combinar com os dois “f” de folga e foco.

Foco

Caras é isso aí, acabando mais um dia produtivo aqui, hoje trabalhei um tanto bom nos meus projetos de TI como freelancer, e tive algumas notícias boas também acerca do recebimento desses honorários.

Se meus planos derem certo e todos os contratos forem efetivamente concretizados, acredito que no meio do ano vou ganhar 1/3 do salário do meu emprego fixo somente com trabalhos extras (aka bicos). Mas tô suando pra caramba também!

Folga

Consegui  uma folga amanhã, que veio em uma ótima hora. Vou aproveitar para por as ideias no lugar e tirar alguns documentos pessoais atrasados. Amanhã é dia de planejar a semana!

Planejar a semana é:

  • Ver o que vou fazer em qual dia
  • Ver as pendências que faltam para ser resolvidas e planejá-las, agendá-las
  • Cuidados pessoais
  • Planejar a viagem boa do ano
  • Planejar a viagem do carnaval
  • Por a cabeça no lugar
  • Relaxar em casa tomando café o dia todo
  • Checar dezenas de vezes meu Wunderlist, minha agenda e meus Lembretes do celular
  • Esgotar tarefas rápidas
  • Manutenção da casa

Pergunta

Vocês tiram algum dia da semana para planejar a próxima semana?